Comunicação
Bacia de Santos

Ampliação do Centro de reabilitação e despetrolização de animais marinhos no Guarujá


Unidade faz parte do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS)

O município do Guarujá ganhou, na última semana, uma nova instalação para o Centro de Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos. No dia 2 de agosto, foi inaugurada a nova sede da unidade, que é a 2ª da Baixada Santista (a primeira funciona no município de Praia Grande), a 5ª instalação no estado de São Paulo e a 10ª do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) Fase 01 – condicionante ambiental estabelecida pelo Ibama para o licenciamento relativo à produção e escoamento de petróleo e gás natural no polo pré-sal da Bacia de Santos – que agora amplia sua capacidade de atendimento aos animais marinhos vivos e mortos, reabilitados ou necropsiados.

A nova unidade tem como objetivo avaliar a existência de interferência das atividades da Petrobras sobre aves, tartarugas e mamíferos marinhos que utilizam a Bacia de Santos para viver, se alimentar, se reproduzir, ou simplesmente para se deslocar.

A instalação é preparada para receber pinguins e outras aves, leões/lobos-marinhos e golfinhos, contando com piscinas para os animais, ambulatório, salas de estabilização e despetrolização (caso sejam atendidos animais oleados), internação e isolamento, laboratório de análises clínicas, sala de necropsia, sala de cirurgia, cozinha para preparação de alimentos para animais e área administrativa.

Para o professor e coordenador do PMP Fase 1, André Silva Barreto, o novo espaço agrega positivamente na qualidade dos serviços. “Estamos fechando 4 anos de projeto com um número de 65 mil animais registrados, com um percentual de 10% encontrados vivos. Já existe uma base operando em um outro terreno, mas essa nova instalação tem uma capacidade maior para atendimento dos animais, principalmente de pinguins. Isso certamente vai melhorar a qualidade dos serviços prestados.”

O gerente de meio ambiente da UO-BS, Marcos Vinícius de Mello, observa: “O objetivo do PMP é identificar possíveis impactos que o desenvolvimento das atividades no Pré-Sal pode causar nos animais. Então, todo animal encontrado, vivo ou morto, é registrado e contabilizado pelo projeto. Os animais vivos recebem o devido tratamento e, após sua recuperação, são devolvidos a seu habitat natural. Já os animais que são encontrados mortos são trazidos aqui para a sede do Gremar, onde é feito todo um trabalho investigativo da causa do óbito. O que temos observado com muita frequência nos animais marinhos que são encontrados mortos é a interação antrópica, ou seja, o animal se alimenta de lixo marinho, em sua maioria plástico. Até o momento não houve quaisquer registros relacionados ao desenvolvimento do Pré-Sal da Bacia de Santos".

O PMP-BS é uma condicionante do Licenciamento Ambiental Federal da Produção e Escoamento de Petróleo e Gás da Bacia de Santos, consuzido pelo Ibama. O projeto é realizado em toda a área que se estende de Laguna (SC) até Saquarema (RJ).

Para conhecer os resultados obtidos no PMP-BS, acesse os relatórios anuais encaminhados ao Ibama na aba do projeto.

PMP na Petrobras

O PMP também é executado como condicionante de licenças ambientais de empreendimentos em outras regiões onde a Petrobras atua, como as Bacias de Campos, Espírito Santo, Sergipe-Alagoas, Potiguar e Ceará.

Caso você visualize um animal vivo na praia que esteja debilitado ou uma carcaça, pode acionar as equipes do PMP pelos telefones:

  • Litoral dos estados de SC, PR e SP: 0800-6423341
  • Litoral do Rio de Janeiro (Paraty até Saquarema): 0800-0095444
  • (Saquarema até São Francisco do Itabapoana): 0800-0262828
  • Litoral do Espírito Santo (Presidente Kennedy até Conceição da Barra): 0800-0395005
  • Litoral de Sergipe-Alagoas: (79) 99164-0707
  • Litoral de Bacia-Potiguar – Rio Grande do Norte: (84) (9090) 98843-4621
  • Ceará: (85) (9090) 99675-0665

Notícias relacionadas